Elementos básicos para a criação de histórias em quadrinhos

Hoje resolvi falar um pouco sobre um tema que me agrada muito, e que atualmente é muito explorado no mundo da publicidade e propaganda: História em quadrinhos.
Quando falamos sobre histórias em quadrinhos, lembramos que elas fazem parte da nossa vida desde a infância. De modo que suas características básicas estão de alguma maneira enraizada em nossa mente.
Entretanto, podemos afirmar que é comum entre muitos criativos ocorrer “momentos de apagão” quando encontram alguma possibilidade em fazer quadrinhos, mesmo que não seja em momentos profissionais.
Os estilos de histórias em quadrinhos mais comuns, são apenas um quadro, tiras, tirinhas ou uma história longa como gibis e HQ.
As técnicas que são utilizadas com menos esforços criativos mentais na criação de uma HQ, são simples, comparada a outras. O detalhe mágico para a perfeição em um trabalho profissional exige esforço, tempo, dedicação, amor e o mais importante, a paixão pela arte.

Segue abaixo uma lista contendo elementos básicos, comuns em qualquer gênero de mangá, ghapih móvel, adulta, infantil. O foco não é mostrar como funciona uma equipe de criação, a ideia é apresentar a todos o funcionamento de seus elementos e significados.

Requadro:
O Requadro é o principal elemento em uma HQ, marcante característica que elas carregam. São conjuntos de linhas que definem o espaço de cada cena, mais conhecida como quadrado.
É normal ter histórias com linhas diferentes que atingem formatos circulares, triangulares, trêmulas e afins.  Um exemplo é o formato mais anguloso que ajuda na narrativa visual deixando a leitura dinâmica. Existem casos onde a historia auxilia o“tico-teco” criativo, tanto do leitor, como do criador das cenas, um exemplo disso são linhas que não existem efetivamente, obrigando o leitor imagina-las.
Vale ressaltar que não é uma obrigação inventar nada criativo ao extremo, quadrados elaborados é uma opção de estética para a obra ficar mais interessante ao seu publico. Lembrando que estou falando o básico!
Calha:
A calha nada mais é que, o vão que existe entre um quadro e outro. Ela ajuda a delimitar o tempo das cenas, quanto maior a distancia, maior será o tempo da cena. E quanto menor a distancia significa que serão cenas rápidas.
Balões e Recordatório:
Balões são tão comuns nas HQs quantos os requadros, eles simbolizam o ato da falados personagens. Podem ser desenhados de diversas formas tendo cada um o seu significado, nas funções das HQs.
O tipo de “rabicho” utilizado ao apontar para o personagem até o balão pode mudar o tom da fala:
Linha quadrada: Voz eletrônica
Rabiscada: Grito ou voz alta
Nuvens: Pensamentos
Recordatório:
É um painel sem rabicho onde é normalmente utilizado pelo narrador, dependendo da harmonia da arte o painel pode virar uma nuvem (normalmente utilizado em HQs mais adultas).
Onomatopeia:
Ao contrário do balão que indica a fala, a onomatopeia indica o som ambiente, importante na história.  Como não tem o rabicho é obrigatório ser desenhado bem próximo ao emissor do som.
O desenho:
Então, chegamos ao ponto onde sempre tem aquela desculpa clássica para alguém se recusar a tentar criar uma história em quadrinhos. “Não sei desenhar” e “mimimi”.
Quem ganha a vida com quadrinhos já está careca em saber, que desenhar bem não é uma obrigação, afinal você já viu alguma HQ com sua arte super-realista?
Sinceramente nós estamos acostumados a rabiscar desde a infância, embora a maioria pare de evoluir seu desenho depois de alguns anos. Porém ainda sabem o que veem ou imaginam graficamente, nem que seja em esquemas simples.
Agora que já conhecemos um pouco desse universo, que tal usarmos essas informações e todas as ferramentas para elaborar uma boa história em quadrinhos? 

Comentários no Facebook