[Livro da Semana] – Lonely Hearts Club

Livro: Lonely Hearts Club
Autor (a): Elizabeth Eulberg
Páginas: 340
Editora: Intríseca  
Sinopse:
Eu, Penny Lane Bloom, juro solenemente nunca mais namorar enquanto viver. Tudo bem, talvez eu reconsidere essa decisão em dez anos, ou algo assim, quando não estiver mais morando em Parkview, Illinois, nem frequentando a escola McKinley, mas, por hora, não quero mais saber de garotos. São todos a escória da humanidade, mentirosos e traidores. Sim, todos eles. A essência do mal. Claro que alguns parecem legais, mas, assim que conseguem o que querem, dão o fora em você e partem para o próximo alvo. Então, cansei. Chega de namorar. Fim.
“Love was such an easy game to play… o amor é um jogo tão fácil de jogar…”
Oii gente, Lonely Hearts Club (tradução: O Club dos Corações Solitários), conta a história de Penny que teve o coração partido por Nate o amor da sua vida. Ela imaginava que eles seriam o casal perfeito, se conheciam desde sempre, faziam várias coisas juntos, seus pais se conheciam e se adoravam, e Penny esperava os verões ansiosamente para poder ver Nate de novo. 

 

Mas então em um certo verão, tudo acabou, desmoronou, Penny vê que Nate é só mais um garoto e que garotos mudam e mentem. Com o coração partido ela só queria sumir, então se tranca no quarto e encontra consolo nas músicas (quem nunca né), mais precisamente nos Beatles, e é nesse momento que ela tem a ideia de fundar um Club, em que ela seria a única participante e fundadora.

“Qualquer um que já tenha se agarrado a uma música como a um bote salva-vidas vai entender. Ou alguém que tenha colocado uma canção para fazer aflorar um sentimento ou uma lembrança. Ou que tenha uma trilha sonora tocando em sua mente para embalar um diálogo ou uma cena.” Pag.19 
Isso foi o que ela pensou, depois de um tempo o boato se espalhou e apesar de algumas recusas a ideia de Penny de formar um Club para meninas que não namorariam até o termino do ensino médio/colegial se tornou viral e todas as garotas queriam participar. Foi então que o Club teve um outro significado, não era mais apenas um Club onde as garotas não podiam namorar e sim um em que as amigas passavam mais tempo juntas, se divertiam e conversavam, e ai vem uma outra questão do livro, a amizade.
“Foi estranho. Eu tinha ido a várias festas e eventos mais formais desde o ensino fundamental, mas era a primeira vez que saía para comprar vestidos com um grupo de amigas. Isso realmente consolidaria a importância do Club, e nos mostrou quanto poderíamos nos divertir sem garotos.” Pag.95 
Bom, dito isso, a única coisa que posso falar para expressar o que achei do livro é que ele é muito, muito bom, é divertido, com uma escrita fácil, com vários detalhes fofos em cada capitulo. Um livro que já na metade você consegue desvendar o que irá acontecer, mas isso não impede de querer continuar a ler e saber todos os detalhes do fim.
  
Espero que tenham gostado de mais essa dica e até a próxima semana.

Áh! Não esquecem de me dizer ali em baixo nos comentários o que vocês acharam 🙂

Comentários no Facebook