Rio, eu te amo

Aprendi que o amor é feito de liberdade. É como ter todos os dias outras opções, e ainda assim fazer a mesma escolha.
É nesse clima amoroso, amigável e feliz, obviamente, falaremos de amor . Com tantos filmes de romance, de casais que inspiraram amores cotidianos, escolhemos um amor entre milhares de pessoas e uma cidade. Uma cidade cujo o amor reina sempre nos olhares  das pessoas.

Então, se já fizeram filmes sobre Paris e Nova York, por que não fazer sobre a cidade maravilhosa? Eis que surge alguns diretores renomados, que entram no projeto ”Cities Of Love”.
O projeto começa com cada diretor falando de um caso isolado, para que no final todos acabam se se encontrando na cidade maravilhosa, porém sem notarem.  Como todo amor custa caro, o filme foi projetado com o orçamento de 25 milhões de reais.

Porém, todo filme é criado por algum motivo (obvio e necessário). Foi criado com intuito de aproximar os moradores da grande Rio, e trazer turistas para a cidade. O filme não mostra a injustiça e a criminalidade, todavia, por outro lado apresenta o valor real da cidade. Suas paisagens são, em todo o filme, representado em plano maior. Com toda certeza, pode-se dizer que é um cartão-postal da cidade. Porém, não há nada criado, é tudo verdadeiro! Cada metragem, um visual resplendor incrível.

No decorrer do filme, é apresentado algumas publicidades de cerveja,  as músicas ostensivas para vender CD’s , sorvetes e perfumes. Como um filme normal, o marketing se apresentou sem medo. Talvez falte a “Rio, Eu Te Amo” mais ousadia estética e de conteúdo, algo que a grande responsabilidade do projeto deve ter tolhido aos diretores.

Enfim, para a sociedade em geral o filme é inspirador, já pensou se sua cidade fosse palco de filme com um patamar igual de Paris, Nova York e Rio de Janeiro?

Comentários no Facebook