Hoje:12 July, 2024

A Publicidade em forma de amor

Não contem com a publicidade para omitir a realidade.

Foi essa a frase que o relator do Conar disse, no último dia 16 de julho, em relação ao processo contra O Boticário, sobre sua campanha do Dia dos Namorados. O órgão, que é responsável pela veiculação de campanhas, virou o ‘queridinho’ dos publicitários, depois de divulgar este argumento. E isso é uma vitória para a publicidade! É tão raro uma marca topar se arriscar em uma estratégia ousada, que nem mesmo o conservadorismo brasileiro foi capaz de barrar quem saiu na frente. 
E falando em O Boticário, eles realmente estão querendo, demonstrar de todas as formas que existe, o verbo amar. Assim, como na campanha de junho, onde aderiu a casais gays no seu comercial, e que deu o que falar, agora, a marca conta com uma campanha muito sensível sobre o Dia dos Pais com o tema: adoção! A campanha intitulada “Origem”, conta com a narração de um menino que descreve o dia do seu nascimento, e com o passar das cenas, percebemos que este dia em questão é quando ele sai do orfanato e se encontra com seu novo pai e sua nova mãe.
Convenhamos que, também não é convencional uma família que tem uma criança adotada, mas, não deixa de ser e ter AMOR. A empresa, que já deixou bem claro, que prefere acreditar em uma família onde o bem e o carinho prevalecem, ao invés de insistir no convencional como várias outras marcas, vem conquistando o coração do consumidor (grande maioria) com esse comercial. 
Existem hoje cerca de 5.500 crianças em condições de serem adotadas e quase 30 mil famílias na lista de espera do CNA. O Brasil tem 44 mil crianças e adolescentes atualmente vivendo em abrigos, segundo o CNCA — em fevereiro do ano passado, eram 37 mil. Se há tantas pessoas dispostas a acolher uma criança sem família, por que o número de meninas e ­meninos do cadastro não param de crescer? Foi isso também que O Boticário quis passar, como vemos na propaganda, o meninos deve ter seus 7 ou 8 anos. Ficaria muito óbvio e monótono se os pais fossem até o abrigo buscar um recém-nascido.
E esse tipo de conscientização que precisamos na publicidade, assim como os gays também são pessoas, capazes de terem um coração enorme de amar. Crianças já crescidas, também merecem e tem o direito de terem uma família. Campanhas como a do Boticário, e também da Coca Cola, que veicula ainda, uma propaganda na qual, uma menina negra (já crescida também), mostra para os pais que a diferença deles (de raça) não tem nenhuma importância, e realmente NÃO TEM!
Fica bem claro, obviamente, que as marcas na maioria das vezes querem polemizar e visar lucro. Mas deixando isso um pouco de lado, é muito lindo ver um ato de amor, na tela da sua televisão não é mesmo? Veicular isso, a um produto ou serviço então, é melhor ainda. Já assistiu os comerciais? Então confira:

Bacharel em Administração com especialização em Marketing e Publicidade. Publicitário, Viciado em Café e Apaixonado por Marketing Digital ♥

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *